"Mulher contra Bolsonaro" é agredida - A CUT-RJ repudia veementemente qualquer agressão

26/09/2018 - 11:18

Na noite de segunda (24/9), a companheira Maria Tuca Santiago, do Psol-RJ, foi covardemente agredida por três homens armados e teve seu celular roubado. 

Maria é uma das administradoras da página “Mulheres Contra Bolsonaro”, dirigente do Bloco Unidos da Ribeira, além de coordenadora da campanha de Sérgio Ricardo Verde, que afirmou por telefone à UOL que, “no domingo, durante uma panfletagem da campanha, um homem pegou o panfleto da mão dela, amassou e apontou para ela com a mão em formato de arma”. 

Embora não se saiba a motivação da agressão, ressaltamos que a ascensão do fascismo no Brasil tem se dado de forma alarmante. Não podemos esquecer que há mais de 6 meses a vereadora Marielle Franco foi brutalmente assassinada e até hoje não temos uma solução sobre o caso.

Após a agressão, Maria foi atendida no Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador e, em seguida, encaminhada para a 37ª Delegacia de Polícia na Estrada do Galeão.
 
Os atos do dia 29/9 se mostram cada vez mais importantes e urgentes. Parafraseando Marcia Tiburi, filósofa, escritora e professora, “Na atual quadra, ou se desvela e desconstrói o fascismo, ou não haverá mais espaço à construção de um mundo melhor”.

A CUT-RJ repudia veementemente qualquer agressão e campanha de ódio. Esperamos que o caso seja cuidadosamente apurado e os agressores punidos.