Após criticar Lava Jato e juiz Sergio Moro, dirigente sindical da CUT-RJ é intimado pela PF

Já é o terceiro caso em que críticos de Moro se tornam investigados por suas opiniões

Escrito por: CUT RIO • Publicado em: 05/04/2017 - 11:42 • Última modificação: 05/04/2017 - 11:51 Escrito por: CUT RIO Publicado em: 05/04/2017 - 11:42 Última modificação: 05/04/2017 - 11:51

Roberto Ponciano

O dirigente CUT-RJ Roberto Ponciano, servidor da Justiça Federal no Rio, recebeu nesta quinta-feira (30), um Mandado de Intimação expedido pela Polícia Federal  para comparecer no próximo dia 11/04 à Superintendência da PF no centro do Rio de Janeiro. A medida se assemelha a intimações a que foram submetidos o petroleiro Emanuel Cancella, coordenador da Secretaria Geral do Sindipetro-RJ, e o blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, ambos convocados a depor na condição de suspeitos de praticarem crimes de opinião,

Ponciano é diretor adjunto da  Secretaria de Saúde do Trabalhador da CUT-RJ e, segundo a notificação, está sendo investigado por possível ocorrência de delito previsto nos artigos 140 (injúria), 147 (ameaça), 286 (incitação ao crime) e do Código Penal bem como no Artigo 2º, inciso 1º da Lei nº 12.850/2013, tendo em vista que pessoas ainda não identificadas estariam usando perfis em redes sociais par atentar contra a vida do juiz federal Sergio Moro.

“Escrevo textos em meu perfil numa mídia social e em sites de opinião criticando sim procedimentos da Lava Jato e a seletividade do juiz Moro. Faço somente análises do contexto da investigação, ao criticar como ela acabou por se tornar uma orquestração política usada por veículos de comunicação e a direita interessados apenas em demonizar a imagem do Partido dos Trabalhadores e de suas lideranças. Em momento algum quis injuriar e ameaçar a integridade física do juiz Sergio Moro e de qualquer outra pessoa ou autoridade envolvidas na investigação”, afirma Roberto Ponciano que também é filósofo e pesquisador marxista, integrante do PT.

O Sindipetro-RJ registra solidariedade a Roberto Ponciano e enfatiza o direito de crítica e opinião.

 

Título: Após criticar Lava Jato e juiz Sergio Moro, dirigente sindical da CUT-RJ é intimado pela PF, Conteúdo: O dirigente CUT-RJ Roberto Ponciano, servidor da Justiça Federal no Rio, recebeu nesta quinta-feira (30), um Mandado de Intimação expedido pela Polícia Federal  para comparecer no próximo dia 11/04 à Superintendência da PF no centro do Rio de Janeiro. A medida se assemelha a intimações a que foram submetidos o petroleiro Emanuel Cancella, coordenador da Secretaria Geral do Sindipetro-RJ, e o blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, ambos convocados a depor na condição de suspeitos de praticarem crimes de opinião, Ponciano é diretor adjunto da  Secretaria de Saúde do Trabalhador da CUT-RJ e, segundo a notificação, está sendo investigado por possível ocorrência de delito previsto nos artigos 140 (injúria), 147 (ameaça), 286 (incitação ao crime) e do Código Penal bem como no Artigo 2º, inciso 1º da Lei nº 12.850/2013, tendo em vista que pessoas ainda não identificadas estariam usando perfis em redes sociais par atentar contra a vida do juiz federal Sergio Moro. “Escrevo textos em meu perfil numa mídia social e em sites de opinião criticando sim procedimentos da Lava Jato e a seletividade do juiz Moro. Faço somente análises do contexto da investigação, ao criticar como ela acabou por se tornar uma orquestração política usada por veículos de comunicação e a direita interessados apenas em demonizar a imagem do Partido dos Trabalhadores e de suas lideranças. Em momento algum quis injuriar e ameaçar a integridade física do juiz Sergio Moro e de qualquer outra pessoa ou autoridade envolvidas na investigação”, afirma Roberto Ponciano que também é filósofo e pesquisador marxista, integrante do PT. O Sindipetro-RJ registra solidariedade a Roberto Ponciano e enfatiza o direito de crítica e opinião.  



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.