Bancário é reintegrado ao Itaú em Campos dos Goytacazes

Mais uma reintegração no Itaú em Campos dos Goytacazes. Helder Tavares, 58 anos, 35 de carreira no banco

Escrito por: CUT Rio • Publicado em: 08/11/2017 - 18:21 Escrito por: CUT Rio Publicado em: 08/11/2017 - 18:21

internet

Mais uma reintegração no Itaú em Campos dos Goytacazes. Helder Tavares, 58 anos, 35 de carreira no banco — desde o antigo Banerj —, tinha sido demitido em dezembro do ano passado. Portador de Lesão por Esforço Repetitivo (LER), ele conseguiu na Justiça voltar ao trabalho por meio da atuação das secretarias de Saúde e de Assuntos Jurídicos do Sindicato, e nesta quarta-feira, 8, retornou à sua agência, a 2997 que fica no calçadão do centro da cidade.

"Estou muito feliz e grato a Deus, à minha família e ao Sindicato que esteve comigo durante todo o tempo na luta para reverter essa demissão. Mas não deixo de estar preocupado porque a gente está vendo o que está acontecendo, a realidade das demissões que acontecem não só nos bancos, mas em todos os setores", disse Helder.

O presidente do Sindicato, Rafanele Alves, alertou para as dificuldades que vêm sendo enfrentadas pela categoria. "A partir de sábado começa a valer a reforma trabalhista que representa um retrocesso enorme nas conquistas da classe trabalhadora, que são resultado de décadas de mobilização. Mas não vamos recuar e continuaremos lutando pela anulação dessa reforma e por justiça, como ocorre hoje com o companheiro Helder".

Também nesta quarta o Sindicato distribuiu nas agências bancárias da cidade a cartilha da Contraf sobre a reforma trabalhista.

Título: Bancário é reintegrado ao Itaú em Campos dos Goytacazes, Conteúdo: Mais uma reintegração no Itaú em Campos dos Goytacazes. Helder Tavares, 58 anos, 35 de carreira no banco — desde o antigo Banerj —, tinha sido demitido em dezembro do ano passado. Portador de Lesão por Esforço Repetitivo (LER), ele conseguiu na Justiça voltar ao trabalho por meio da atuação das secretarias de Saúde e de Assuntos Jurídicos do Sindicato, e nesta quarta-feira, 8, retornou à sua agência, a 2997 que fica no calçadão do centro da cidade. Estou muito feliz e grato a Deus, à minha família e ao Sindicato que esteve comigo durante todo o tempo na luta para reverter essa demissão. Mas não deixo de estar preocupado porque a gente está vendo o que está acontecendo, a realidade das demissões que acontecem não só nos bancos, mas em todos os setores, disse Helder. O presidente do Sindicato, Rafanele Alves, alertou para as dificuldades que vêm sendo enfrentadas pela categoria. A partir de sábado começa a valer a reforma trabalhista que representa um retrocesso enorme nas conquistas da classe trabalhadora, que são resultado de décadas de mobilização. Mas não vamos recuar e continuaremos lutando pela anulação dessa reforma e por justiça, como ocorre hoje com o companheiro Helder. Também nesta quarta o Sindicato distribuiu nas agências bancárias da cidade a cartilha da Contraf sobre a reforma trabalhista.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.