Bancários de Campos dos Goytacazes (RJ) fazem ato em defesa da Caixa

Escrito por: Bancários de Campos dos Goytacazes • Publicado em: 15/08/2017 - 13:33 • Última modificação: 11/10/2017 - 18:52 Escrito por: Bancários de Campos dos Goytacazes Publicado em: 15/08/2017 - 13:33 Última modificação: 11/10/2017 - 18:52

Bancários de Campos dos Goytacazes

O Dia Nacional de Luta dos funcionários da Caixa Econômica Federal foi marcado em Campos dos Goytacazes (RJ) pela passeata e ato público no centro financeiro da cidade promovidos pelo Sindicato dos Bancários na manhã desta terça-feira, 15. O protesto foi também contra as reformas do governo Temer e suas consequências para a classe trabalhadora. Juntaram-se ao movimento da categoria os servidores estaduais da Faetec, instituição que reúne escolas técnicas. Eles estão em greve em virtude do atraso nos salários e do desmonte causado pela falta de investimentos por parte do governo Luiz Fernando Pezão.

— O que está acontecendo com a Caixa é muito grave. Querem entregar nosso patrimônio, o patrimônio do povo brasileiro, de mãos beijadas ao grande capital, à custa da precarização das condições de trabalho dos funcionários e do risco de extinção de programas sociais. A mobilização tem sido permanente e vamos continuar levando para as ruas nossa indignação e nossa luta — disse o vice-presidente do Sindicato dos Bancários, Fábio Rangel.

Título: Bancários de Campos dos Goytacazes (RJ) fazem ato em defesa da Caixa, Conteúdo: O Dia Nacional de Luta dos funcionários da Caixa Econômica Federal foi marcado em Campos dos Goytacazes (RJ) pela passeata e ato público no centro financeiro da cidade promovidos pelo Sindicato dos Bancários na manhã desta terça-feira, 15. O protesto foi também contra as reformas do governo Temer e suas consequências para a classe trabalhadora. Juntaram-se ao movimento da categoria os servidores estaduais da Faetec, instituição que reúne escolas técnicas. Eles estão em greve em virtude do atraso nos salários e do desmonte causado pela falta de investimentos por parte do governo Luiz Fernando Pezão. — O que está acontecendo com a Caixa é muito grave. Querem entregar nosso patrimônio, o patrimônio do povo brasileiro, de mãos beijadas ao grande capital, à custa da precarização das condições de trabalho dos funcionários e do risco de extinção de programas sociais. A mobilização tem sido permanente e vamos continuar levando para as ruas nossa indignação e nossa luta — disse o vice-presidente do Sindicato dos Bancários, Fábio Rangel.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.