Funcionário do Itaú reintegrado em Campos dos Goytacazes (RJ)

Escrito por: Seeb/Campos de Goytacazes • Publicado em: 04/09/2017 - 19:11 • Última modificação: 11/10/2017 - 18:53 Escrito por: Seeb/Campos de Goytacazes Publicado em: 04/09/2017 - 19:11 Última modificação: 11/10/2017 - 18:53

Seeb/Campos de Goytacazes

Mais uma reintegração por decisão da Justiça, que reconheceu a ilegalidade na demissão de um companheiro do Itaú. Foi na manhã desta segunda-feira, 4, na agência da Avenida Sete de Setembro, 509, em Campos dos Goytacazes (RJ). Bruno Viana Borges tinha sido demitido em fevereiro de 2013. No mesmo ano, em novembro, foi reintegrado depois de conquistar a tutela antecipada em ação movida pelo Sindicato dos Bancários. Mas em 21 de agosto deste ano o banco novamente o dispensou, afirmando que havia conseguido reverter judicialmente a reintegração. Agora saiu a decisão definitiva e Bruno está de volta à sua agência. A decisão é da juíza do Trabalho Maria Cândida Rosmaninho Soares.

Bruno adquiriu tendinite por conta do trabalho e vinha se tratando. Mesmo assim, o banco chegou a transferi-lo para uma agência no município de Quissamã, distante mais de 58 quilômetros de sua cidade. Casado e com uma filha de um ano e meio, Bruno comemorou a decisão judicial. “Estou muito feliz, porque é ainda mais difícil hoje, com essa crise no país, um chefe de família passar por isso tudo”, disse o bancário, que fez questão de agradecer o empenho do Sindicato. “Todos estão sempre dispostos, em momento algum nem os diretores nem os advogados se opuseram a nada”, afirmou.

Título: Funcionário do Itaú reintegrado em Campos dos Goytacazes (RJ), Conteúdo: Mais uma reintegração por decisão da Justiça, que reconheceu a ilegalidade na demissão de um companheiro do Itaú. Foi na manhã desta segunda-feira, 4, na agência da Avenida Sete de Setembro, 509, em Campos dos Goytacazes (RJ). Bruno Viana Borges tinha sido demitido em fevereiro de 2013. No mesmo ano, em novembro, foi reintegrado depois de conquistar a tutela antecipada em ação movida pelo Sindicato dos Bancários. Mas em 21 de agosto deste ano o banco novamente o dispensou, afirmando que havia conseguido reverter judicialmente a reintegração. Agora saiu a decisão definitiva e Bruno está de volta à sua agência. A decisão é da juíza do Trabalho Maria Cândida Rosmaninho Soares. Bruno adquiriu tendinite por conta do trabalho e vinha se tratando. Mesmo assim, o banco chegou a transferi-lo para uma agência no município de Quissamã, distante mais de 58 quilômetros de sua cidade. Casado e com uma filha de um ano e meio, Bruno comemorou a decisão judicial. “Estou muito feliz, porque é ainda mais difícil hoje, com essa crise no país, um chefe de família passar por isso tudo”, disse o bancário, que fez questão de agradecer o empenho do Sindicato. “Todos estão sempre dispostos, em momento algum nem os diretores nem os advogados se opuseram a nada”, afirmou.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.