“Livros feitos coletivamente são arma contra narrativa individualizada dos meios de comunicação” diz co-autora de Um Ano de Golpe

Livro de crônicas sobre o Golpe é lançado no Rio na Semana Nacional de Democratização da Mídia

Escrito por: CUT Rio • Publicado em: 20/10/2017 - 21:06 • Última modificação: 20/10/2017 - 21:42 Escrito por: CUT Rio Publicado em: 20/10/2017 - 21:06 Última modificação: 20/10/2017 - 21:42

CUT Rio

Nesta sexta-feira (20), foi lançado mais um livro de importância na contranarrativa progressista frente a hegemonia do discurso conservador que invade nossa sociedade. “Este é o terceiro livro sobre o golpe que participo este ano, é importante que a gente crie literatura sobre o que está acontecendo para que isso seja registrado na história” – comentou Ligia Deslandes, uma das autoras do livro. Quando questionada sobre a influência reacionária sobre a educação, Ligia aponta um dos pontos fortes do livro - Livros feitos coletivamente são uma arma contra a narrativa individualizada dos meios de comunicação, os próprios autores andam e divulgam sua contribuição para um trabalho plural. O coletivo pode ser mais forte que o individualista.

O livro “Um Ano de Golpe” é um apanhado de crônicas de mais de duas dezenas de autores sobre o momento político brasileiro e os mais variados aspectos golpistas e suas repercussões em diversos setores da sociedade.

Este é mais um dos eventos que compõe a Semana Nacional de Democratização da Mídia, que tem como objetivo tirar das sombras o debate sobre a manipulação midiática que impera no Brasil. Esse sistema só existe e se perpetua através da desregulação antidemocrática dos meios de comunicação – e mais do que isso – por quem detém os meios monopolizados.

O lançamento aconteceu no auditório da CUT Rio e recebeu dezenas de pessoas, dentre elas, autores e blogueiros que dedicam seu trabalho à acompanhar o dia-a-dia do Brasil pós-golpe. Presente a mesa Aniely Nascimento, Secretária Adjunta de cultura da CUT Nacional e Jadir Baphtista representando a CUT Rio. Dentre os autores, estiveram presentes Maria Virginia Claudino Ribeiro, Ligia Deslandes, Ricardo Carelli, Gisele Vieira, Virgínia Berriel, Sonia Bastos, Cristina Couto, Patricia Reis, Paulo Nõelle, Pedro Bastos, Maurição Lima, Sergio Rodrigues, Walter Gadelha, Djacy Fabiana, Agra Claudine Rota, Camilia Eid, Alexandre Motta, Jorge Ívano, Mariana Tripode e Fabio SHOK.

Título: “Livros feitos coletivamente são arma contra narrativa individualizada dos meios de comunicação” diz co-autora de Um Ano de Golpe, Conteúdo: Nesta sexta-feira (20), foi lançado mais um livro de importância na contranarrativa progressista frente a hegemonia do discurso conservador que invade nossa sociedade. “Este é o terceiro livro sobre o golpe que participo este ano, é importante que a gente crie literatura sobre o que está acontecendo para que isso seja registrado na história” – comentou Ligia Deslandes, uma das autoras do livro. Quando questionada sobre a influência reacionária sobre a educação, Ligia aponta um dos pontos fortes do livro - Livros feitos coletivamente são uma arma contra a narrativa individualizada dos meios de comunicação, os próprios autores andam e divulgam sua contribuição para um trabalho plural. O coletivo pode ser mais forte que o individualista. O livro “Um Ano de Golpe” é um apanhado de crônicas de mais de duas dezenas de autores sobre o momento político brasileiro e os mais variados aspectos golpistas e suas repercussões em diversos setores da sociedade. Este é mais um dos eventos que compõe a Semana Nacional de Democratização da Mídia, que tem como objetivo tirar das sombras o debate sobre a manipulação midiática que impera no Brasil. Esse sistema só existe e se perpetua através da desregulação antidemocrática dos meios de comunicação – e mais do que isso – por quem detém os meios monopolizados. O lançamento aconteceu no auditório da CUT Rio e recebeu dezenas de pessoas, dentre elas, autores e blogueiros que dedicam seu trabalho à acompanhar o dia-a-dia do Brasil pós-golpe. Presente a mesa Aniely Nascimento, Secretária Adjunta de cultura da CUT Nacional e Jadir Baphtista representando a CUT Rio. Dentre os autores, estiveram presentes Maria Virginia Claudino Ribeiro, Ligia Deslandes, Ricardo Carelli, Gisele Vieira, Virgínia Berriel, Sonia Bastos, Cristina Couto, Patricia Reis, Paulo Nõelle, Pedro Bastos, Maurição Lima, Sergio Rodrigues, Walter Gadelha, Djacy Fabiana, Agra Claudine Rota, Camilia Eid, Alexandre Motta, Jorge Ívano, Mariana Tripode e Fabio SHOK.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.