Mobilização dos petroleiros derruba regime de urgência do projeto de Serra para o pré-sal

Categoria e movimentos sociais se articulam com a Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás e organizam ato na Câmara dos Deputados na próxima terça-feira (14)

Escrito por: FUP • Publicado em: 09/07/2015 - 18:46 Escrito por: FUP Publicado em: 09/07/2015 - 18:46

FUP

Após ampla mobilização de trabalhadores do sistema Petrobrás e da educação e de outros setores do movimento social, lideranças da base do governo formularam um requerimento que contou com 46 assinaturas para que fosse retirado o regime de urgência para a votação do Projeto de Lei 131/2015, do senador José Serra (PSDB/SP). Após discussão sobre o requerimento, os parlamentares aprovaram a criação de uma comissão especial para debater o projeto por 45 dias, antes de ir para votação em plenário. A derrubada do regime de urgência foi muito comemorada pelos petroleiros.
 
A coordenação da FUP esteve hoje (9) com o presidente Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobras, Davidson Magalhães (PC do B/BA) e assessores dos senadores Roberto Requião (PMDB/PR), Lindberg Farias (PT/RJ) e Randolfe Rodrigues (PSOL/AP). Os petroleiros agradeceram o empenho da Frente e dos senadores que se opuseram de forma contundente ao projeto entreguista de José Serra
 
No encontro, a FUP e seus sindicatos acordaram participar do “Ato em defesa da Petrobrás e da democracia”, convocado pela Frente. A atividade acontece na próxima terça-feira (14), no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília. A mobilização em defesa da empresa 100% nacional vai contar com a participação dos movimentos sociais. O MST, o MAB, UNE e a CNTE já confirmaram.
 
Para o Coordenador Geral da FUP, José Maria Rangel, a presença da categoria no Senado e as diversas atividades de mobilização dos petroleiros que ocorreram em todo o País foram fundamentais para garantir o adiamento da votação. “O trabalho realizado nas últimas semanas pela Federação e seus sindicatos foi intenso e mostrou que a decisão da categoria, na Plenafup, foi acertada e corajosa. Conseguimos evitar que esse projeto entreguista fosse votado às pressas, sem o devido entendimento dos parlamentares e da sociedade sobre a gravidade que representa para o futuro do nosso País".
 
Plenafup aprova luta em defesa do pré-sal
 
Na Plenária Nacional dos petroleiros, realizada entre os dias 1 e 5 últimos, na cidade de Guararema (SP), a categoria aprovou a luta em defesa da Petrobrás e que o pré-sal continue sendo patrimônio dos brasileiros. “Os delegados da Plenafup entenderam a gravidade do momento e foram firmes na defesa da Petrobrás e do pré-sal como patrimônio nacional. Sabemos que, se esse projeto passar, perderemos o controle sobre esse recurso fundamental para as conquistas sociais que tivemos nos últimos doze anos”, afirma o coordenador da FUP.
 
Pré-sal é essencial para a Educação
 
Durante a manhã do dia 7, os petroleiros acompanharam audiência pública da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, que fez um balanço do primeiro ano do Plano Nacional de Educação (PNE). A audiência contou com a participação de professores, estudantes e representantes de diversos movimentos sociais.  A atual Lei de Partilha que Serra quer modificar criou o Fundo Social Soberano que garante que os recursos dos pré-sal sejam destinados ao cumprimento das metas do PNE.
Título: Mobilização dos petroleiros derruba regime de urgência do projeto de Serra para o pré-sal, Conteúdo: Após ampla mobilização de trabalhadores do sistema Petrobrás e da educação e de outros setores do movimento social, lideranças da base do governo formularam um requerimento que contou com 46 assinaturas para que fosse retirado o regime de urgência para a votação do Projeto de Lei 131/2015, do senador José Serra (PSDB/SP). Após discussão sobre o requerimento, os parlamentares aprovaram a criação de uma comissão especial para debater o projeto por 45 dias, antes de ir para votação em plenário. A derrubada do regime de urgência foi muito comemorada pelos petroleiros.   A coordenação da FUP esteve hoje (9) com o presidente Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobras, Davidson Magalhães (PC do B/BA) e assessores dos senadores Roberto Requião (PMDB/PR), Lindberg Farias (PT/RJ) e Randolfe Rodrigues (PSOL/AP). Os petroleiros agradeceram o empenho da Frente e dos senadores que se opuseram de forma contundente ao projeto entreguista de José Serra   No encontro, a FUP e seus sindicatos acordaram participar do “Ato em defesa da Petrobrás e da democracia”, convocado pela Frente. A atividade acontece na próxima terça-feira (14), no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília. A mobilização em defesa da empresa 100% nacional vai contar com a participação dos movimentos sociais. O MST, o MAB, UNE e a CNTE já confirmaram.   Para o Coordenador Geral da FUP, José Maria Rangel, a presença da categoria no Senado e as diversas atividades de mobilização dos petroleiros que ocorreram em todo o País foram fundamentais para garantir o adiamento da votação. “O trabalho realizado nas últimas semanas pela Federação e seus sindicatos foi intenso e mostrou que a decisão da categoria, na Plenafup, foi acertada e corajosa. Conseguimos evitar que esse projeto entreguista fosse votado às pressas, sem o devido entendimento dos parlamentares e da sociedade sobre a gravidade que representa para o futuro do nosso País.   Plenafup aprova luta em defesa do pré-sal   Na Plenária Nacional dos petroleiros, realizada entre os dias 1 e 5 últimos, na cidade de Guararema (SP), a categoria aprovou a luta em defesa da Petrobrás e que o pré-sal continue sendo patrimônio dos brasileiros. “Os delegados da Plenafup entenderam a gravidade do momento e foram firmes na defesa da Petrobrás e do pré-sal como patrimônio nacional. Sabemos que, se esse projeto passar, perderemos o controle sobre esse recurso fundamental para as conquistas sociais que tivemos nos últimos doze anos”, afirma o coordenador da FUP.   Pré-sal é essencial para a Educação   Durante a manhã do dia 7, os petroleiros acompanharam audiência pública da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, que fez um balanço do primeiro ano do Plano Nacional de Educação (PNE). A audiência contou com a participação de professores, estudantes e representantes de diversos movimentos sociais.  A atual Lei de Partilha que Serra quer modificar criou o Fundo Social Soberano que garante que os recursos dos pré-sal sejam destinados ao cumprimento das metas do PNE.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.