Movimento sindical fluminense em defesa dos direitos trabalhistas e da democracia

Nesse quadro complexo, as Centrais Sindicais do Rio de Janeiro, em sintonia com o manifesto lançado nacionalmente pelas entidades, declaram seu apoio à candidatura de Fernando Haddad

Escrito por: CUT Rio • Publicado em: 24/10/2018 - 12:28 Escrito por: CUT Rio Publicado em: 24/10/2018 - 12:28

Nathália Gregory

Na noite desta terça-feira 23 de Outubro 9 centrais sindicais se juntaram a outros movimentos sociais do campo e da cidade, artistas, religiosos, intelectuais e partidos democráticos no palco da virada montado na Lapa, Rio de Janeiro e entregaram ao futuro presidente Haddad um manifesto de apoio a sua candidatura.

 

Movimento sindical fluminense em defesa dos direitos trabalhistas e da democracia

No próximo dia 28 de outubro teremos uma eleição decisiva para o futuro da classe trabalhadora brasileira. De um lado, Fernando Haddad, um candidato comprometido com a democracia, os direitos sociais e a soberania nacional. Do outro, um candidato que encarna o autoritarismo, a desnacionalização da economia e a extinção dos direitos sociais e trabalhistas, com consequências diretas na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras, como desemprego, a precarização do trabalho, redução dos direitos e da qualidade de vida. Nesse quadro complexo, as Centrais Sindicais do Rio de Janeiro, em sintonia com o manifesto lançado nacionalmente pelas entidades, declaram seu apoio à candidatura de Fernando Haddad, porém, fazem um chamado ao candidato para compromissos importantes para a classe trabalhadora fluminense.

Nosso Estado mergulhou numa crise econômica sem precedentes nos últimos anos. O desemprego e o desmonte do Estado do Rio de Janeiro atingem proporções que causam danos imensos aos trabalhadores e trabalhadoras. É urgente que o governo federal assuma, para com o povo de nosso Estado, o compromisso com a recuperação do Rio de Janeiro, tanto econômica como socialmente.

O Rio de Janeiro precisa que o governo federal assuma o compromisso com a reativação do setor naval, com o retorno da política de conteúdo nacional na Petrobrás. A indústria naval tem uma grande importância para a economia fluminense e não pode permanecer no atual quadro de abandono. Nesse sentido, também se faz importante investir na construção civil e terminar obras estratégicas, como a Usina Angra 3. Investimentos que irão gerar emprego e dinamizar a economia do nosso Estado.

Os trabalhadores rurais, encurralados pela especulação imobiliária, exigem que o governo eleito das urnas olhe para o setor com atenção, criando novas linhas de crédito e buscando formas de proteção para essa categoria que faz com que os alimentos possam chegar à mesa do nosso povo. Também é necessário universalizar o Saneamento, revogando a MP 844/2018 editada por Michel Temer e aprovando PLP 387/2017 que retira da CEDAE a condição de garantia o acordo de recuperação fiscal e inclui, no mesmo, os créditos tributários que o governo do Estado do RJ tem a receber da União como garantia.

A mobilidade é outro setor que nosso Estado precisa do apoio do governo Federal. É urgente que a Linha 3 do Metrô, que liga a capital à São Gonçalo saia do papel e se torne uma realidade capaz de melhorar a vida da classe trabalhadora. O transporte ferroviário também carece de uma política de incentivos por parte do governo para se desenvolver e gerar desenvolvimento de uma vigorosa cadeia industrial nas diversas regiões do Rio de Janeiro.

Desenvolver a indústria é fundamental para o fortalecimento econômico de nosso Estado, assim, além da já citada necessidade de fortalecer o setor naval, queremos incentivo para que montadoras produzam ônibus dentro do nosso Estado, gerando emprego e renda para nosso povo, além de garantindo, assim, a renovação de uma frota cujos problemas são sentidos na pele pela população todos os dias. Nossas favelas precisam ser urbanizadas e nossa rede hospitalar pede socorro. Investimentos federais nessas duas áreas podem fazer toda diferença para que nosso povo volte a ter uma vida digna.

Por fim, mas não menos importante, as Centrais Sindicais do Rio de Janeiro fazem saber ao candidato Fernando Haddad que o compromisso com a classe trabalhadora é fator inegociável para o apoio que manifestamos através desse documento de modo que exigimos a revogação da Reforma Trabalhista e a manutenção e estruturação do Ministério do Trabalho.

Rio de Janeiro, 23 de Outubro de 2018

Força Sindical – RJ Central dos Sindicatos Brasileiros – RJ Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - RJ Central Única dos Trabalhadores – RJ Nova Central Sindical dos Trabalhadores - RJ União Geral dos Trabalhadores - RJ

 

Título: Movimento sindical fluminense em defesa dos direitos trabalhistas e da democracia, Conteúdo: Na noite desta terça-feira 23 de Outubro 9 centrais sindicais se juntaram a outros movimentos sociais do campo e da cidade, artistas, religiosos, intelectuais e partidos democráticos no palco da virada montado na Lapa, Rio de Janeiro e entregaram ao futuro presidente Haddad um manifesto de apoio a sua candidatura.   Movimento sindical fluminense em defesa dos direitos trabalhistas e da democracia No próximo dia 28 de outubro teremos uma eleição decisiva para o futuro da classe trabalhadora brasileira. De um lado, Fernando Haddad, um candidato comprometido com a democracia, os direitos sociais e a soberania nacional. Do outro, um candidato que encarna o autoritarismo, a desnacionalização da economia e a extinção dos direitos sociais e trabalhistas, com consequências diretas na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras, como desemprego, a precarização do trabalho, redução dos direitos e da qualidade de vida. Nesse quadro complexo, as Centrais Sindicais do Rio de Janeiro, em sintonia com o manifesto lançado nacionalmente pelas entidades, declaram seu apoio à candidatura de Fernando Haddad, porém, fazem um chamado ao candidato para compromissos importantes para a classe trabalhadora fluminense. Nosso Estado mergulhou numa crise econômica sem precedentes nos últimos anos. O desemprego e o desmonte do Estado do Rio de Janeiro atingem proporções que causam danos imensos aos trabalhadores e trabalhadoras. É urgente que o governo federal assuma, para com o povo de nosso Estado, o compromisso com a recuperação do Rio de Janeiro, tanto econômica como socialmente. O Rio de Janeiro precisa que o governo federal assuma o compromisso com a reativação do setor naval, com o retorno da política de conteúdo nacional na Petrobrás. A indústria naval tem uma grande importância para a economia fluminense e não pode permanecer no atual quadro de abandono. Nesse sentido, também se faz importante investir na construção civil e terminar obras estratégicas, como a Usina Angra 3. Investimentos que irão gerar emprego e dinamizar a economia do nosso Estado. Os trabalhadores rurais, encurralados pela especulação imobiliária, exigem que o governo eleito das urnas olhe para o setor com atenção, criando novas linhas de crédito e buscando formas de proteção para essa categoria que faz com que os alimentos possam chegar à mesa do nosso povo. Também é necessário universalizar o Saneamento, revogando a MP 844/2018 editada por Michel Temer e aprovando PLP 387/2017 que retira da CEDAE a condição de garantia o acordo de recuperação fiscal e inclui, no mesmo, os créditos tributários que o governo do Estado do RJ tem a receber da União como garantia. A mobilidade é outro setor que nosso Estado precisa do apoio do governo Federal. É urgente que a Linha 3 do Metrô, que liga a capital à São Gonçalo saia do papel e se torne uma realidade capaz de melhorar a vida da classe trabalhadora. O transporte ferroviário também carece de uma política de incentivos por parte do governo para se desenvolver e gerar desenvolvimento de uma vigorosa cadeia industrial nas diversas regiões do Rio de Janeiro. Desenvolver a indústria é fundamental para o fortalecimento econômico de nosso Estado, assim, além da já citada necessidade de fortalecer o setor naval, queremos incentivo para que montadoras produzam ônibus dentro do nosso Estado, gerando emprego e renda para nosso povo, além de garantindo, assim, a renovação de uma frota cujos problemas são sentidos na pele pela população todos os dias. Nossas favelas precisam ser urbanizadas e nossa rede hospitalar pede socorro. Investimentos federais nessas duas áreas podem fazer toda diferença para que nosso povo volte a ter uma vida digna. Por fim, mas não menos importante, as Centrais Sindicais do Rio de Janeiro fazem saber ao candidato Fernando Haddad que o compromisso com a classe trabalhadora é fator inegociável para o apoio que manifestamos através desse documento de modo que exigimos a revogação da Reforma Trabalhista e a manutenção e estruturação do Ministério do Trabalho. Rio de Janeiro, 23 de Outubro de 2018 Força Sindical – RJ Central dos Sindicatos Brasileiros – RJ Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - RJ Central Única dos Trabalhadores – RJ Nova Central Sindical dos Trabalhadores - RJ União Geral dos Trabalhadores - RJ  



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.