Não à Fenaban. Sim à greve

Bancários do Rio, como em todo o Brasil, rejeitaram a proposta indecente da Fenaban e aprovaram a greve a partir do dia 6

Escrito por: Bancários Rio • Publicado em: 02/10/2015 - 12:31 Escrito por: Bancários Rio Publicado em: 02/10/2015 - 12:31

Bancários Rio

Numa demonstração de unidade e disposição de luta, cerca de 410 mil bancários e bancárias de todo o país vão parar a partir desta terça-feira, dia 6 de outubro.

A decisão foi tomada em assembleias, que rejeitaram a proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e aprovaram a greve por tempo indeterminado.

No Rio, a assembleia realizada na quinta-feira (1º) contou com a excelente presença de mais de 420 bancários na Galeria dos Empregados do Comércio e seguiu a orientação do Sindicato e da Contraf-CUT.

Os bancários aprovaram a greve nacional até que os bancos apresentem uma proposta justa e tratem a negociação com seriedade. A Fenaban ofereceu 5,5% de reajuste, índice que sequer cobre as perdas com a inflação, e abono de R$2.500. Além da remuneração, a proposta dos bancos não avançou em itens fundamentais, como saúde e condições de trabalho.

A categoria deu um recado claro aos bancos: é preciso respeitar os bancários.

A presidenta do Sindicato convocou os bancários para participarem da greve. "Há um cenário econômico difícil, mas não há crise no sistema financeiro. Os bancos tiveram um aumento de 1.065% nos lucros nos últimos dez anos. Somente no primeiro semestre deste ano o crescimento dos ganhos no setor financeiro foi de 40% em relação a 2014. É inaceitável esta proposta vergonhosa da Fenaban diante deste nível de lucratividade. Vamos juntos organizar uma forte greve nacional", disse.

A sindicalista defendeu ainda um debate na sociedade em defesa de um novo modelo para o sistema financeiro nacional, cobrando responsabilidade social dos bancos.

Nesta segunda-feira (5) tem nova assembleia na Galeria dos Empregados do Comércio, a partir das 18h, para organizar a greve.

Título: Não à Fenaban. Sim à greve, Conteúdo: Numa demonstração de unidade e disposição de luta, cerca de 410 mil bancários e bancárias de todo o país vão parar a partir desta terça-feira, dia 6 de outubro. A decisão foi tomada em assembleias, que rejeitaram a proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e aprovaram a greve por tempo indeterminado. No Rio, a assembleia realizada na quinta-feira (1º) contou com a excelente presença de mais de 420 bancários na Galeria dos Empregados do Comércio e seguiu a orientação do Sindicato e da Contraf-CUT. Os bancários aprovaram a greve nacional até que os bancos apresentem uma proposta justa e tratem a negociação com seriedade. A Fenaban ofereceu 5,5% de reajuste, índice que sequer cobre as perdas com a inflação, e abono de R$2.500. Além da remuneração, a proposta dos bancos não avançou em itens fundamentais, como saúde e condições de trabalho. A categoria deu um recado claro aos bancos: é preciso respeitar os bancários. A presidenta do Sindicato convocou os bancários para participarem da greve. Há um cenário econômico difícil, mas não há crise no sistema financeiro. Os bancos tiveram um aumento de 1.065% nos lucros nos últimos dez anos. Somente no primeiro semestre deste ano o crescimento dos ganhos no setor financeiro foi de 40% em relação a 2014. É inaceitável esta proposta vergonhosa da Fenaban diante deste nível de lucratividade. Vamos juntos organizar uma forte greve nacional, disse. A sindicalista defendeu ainda um debate na sociedade em defesa de um novo modelo para o sistema financeiro nacional, cobrando responsabilidade social dos bancos. Nesta segunda-feira (5) tem nova assembleia na Galeria dos Empregados do Comércio, a partir das 18h, para organizar a greve.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.