Nota de repúdio ao PDV da Caixa Econômica

Escrito por: Bancários Rio • Publicado em: 07/02/2017 - 19:05 • Última modificação: 06/03/2017 - 17:28 Escrito por: Bancários Rio Publicado em: 07/02/2017 - 19:05 Última modificação: 06/03/2017 - 17:28

Bancários Rio

Mais uma medida autoritária do governo Temer atinge diretamente os trabalhadores do sistema financeiro.
Funcionários da Caixa Econômica Federal foram surpreendidos nesta segunda-feira com o Plano de Demissão Voluntária (PDV). Surpreendidos e desrespeitados, já que foram avisados por e-mail da medida que pretende cortar pelos menos 10 mil funcionários.
O Sindicato dos Bancários Rio não tem dúvida nenhuma que o desmonte que o governo Temer está promovendo nos bancos públicos é mais uma entrega de empresas lucrativas para a iniciativa privada.
Em um momento que deveria ser de união para a promoção de ajustes e estabelecimento de novas regras, o governo praticamente obriga funcionários a aderirem um plano a partir do momento que instituiu um normativo interno que permite a retirada de funções que gera perda financeira aos trabalhadores.
Não só os bancários são atingidos com o desmonte dos bancos públicos, a sociedade também perde, principalmente a população de baixa renda, já que os bancos públicos têm um papel social a cumprir. A Caixa é a instituição financeira responsável por grande parte das políticas públicas sociais como o Bolsa Família – que beneficia mais de 13 milhões de brasileiros, o FIES, o Minha Casa Minha Vida, além do Programa de Integração Social (PIS) e o Seguro-Desemprego.
O sistema financeiro no Brasil é altamente concentrado com apenas cinco grandes bancos que lucram milhões a cada semestre. O enfraquecimento da Caixa só trará benefícios a esses grupos.
Repudiamos a política que está sendo imposta aos bancos públicos onde o que se pretende é precarizar o atendimento e retirar direitos dos trabalhadores.

Adriana Nalesso – Presidenta do Sindicato dos Bancários Rio

Título: Nota de repúdio ao PDV da Caixa Econômica, Conteúdo: Mais uma medida autoritária do governo Temer atinge diretamente os trabalhadores do sistema financeiro. Funcionários da Caixa Econômica Federal foram surpreendidos nesta segunda-feira com o Plano de Demissão Voluntária (PDV). Surpreendidos e desrespeitados, já que foram avisados por e-mail da medida que pretende cortar pelos menos 10 mil funcionários. O Sindicato dos Bancários Rio não tem dúvida nenhuma que o desmonte que o governo Temer está promovendo nos bancos públicos é mais uma entrega de empresas lucrativas para a iniciativa privada. Em um momento que deveria ser de união para a promoção de ajustes e estabelecimento de novas regras, o governo praticamente obriga funcionários a aderirem um plano a partir do momento que instituiu um normativo interno que permite a retirada de funções que gera perda financeira aos trabalhadores. Não só os bancários são atingidos com o desmonte dos bancos públicos, a sociedade também perde, principalmente a população de baixa renda, já que os bancos públicos têm um papel social a cumprir. A Caixa é a instituição financeira responsável por grande parte das políticas públicas sociais como o Bolsa Família – que beneficia mais de 13 milhões de brasileiros, o FIES, o Minha Casa Minha Vida, além do Programa de Integração Social (PIS) e o Seguro-Desemprego. O sistema financeiro no Brasil é altamente concentrado com apenas cinco grandes bancos que lucram milhões a cada semestre. O enfraquecimento da Caixa só trará benefícios a esses grupos. Repudiamos a política que está sendo imposta aos bancos públicos onde o que se pretende é precarizar o atendimento e retirar direitos dos trabalhadores. Adriana Nalesso – Presidenta do Sindicato dos Bancários Rio



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.