O MAL-ESTAR E A MENTIRA

Escrito por: Cutistas do Judiciário • Publicado em: 06/06/2016 - 11:50 Escrito por: Cutistas do Judiciário Publicado em: 06/06/2016 - 11:50

Ontem, de forma equivocada, o jornalista que cuida da página da CUT-Brasil colocou uma notícia da Rede Brasil atual sobre a reposição salarial dos servidores públicos.
Não foi uma nota oficial da CUT e não expressa a opinião de nenhum dirigente da CUT, muito menos a posição da Central.
Quando os servidores CUTistas viram a publicação, comunicaram a CUT Nacional, que imediatamente retirou a publicação.
A posição da Central Única dos Trabalhadores sempre foi e será a favor da reposição salarial dos servidores públicos, tendo intervindo em todas as negociações a favor da reposição salarial dos servidores do Judiciário, inclusive nesta.
Foi a Central Única dos Trabalhadores que contactou o MPOG para que pudéssemos retomar as negociações do PL6613, que desembocou no atual 2649.
Durante toda a negociação, a CUT Nacional pressionou Governo e parlamentares para a aprovação do nosso PL.
Sindicatos ligados ao Conlutas, que se posicionaram primeiro contra o PL6613, e depois contra o PL2648, cujos dirigentes, que tanto fizeram contra o atual projeto aprovado na Câmara, depois que o setor CUTista conseguiu acordo e orçamento com o Governo Dilma, e que agora correm para tirar ridículas fotos com parlamentares para dizer que ajudaram num projeto que tentaram abortar, enviando inclusive ofício ao STF pedindo a retirada do projeto de tramitação, MENTEM DESCARADAMENTE PARA A CATEGORIA.
Baseado numa notícia do portal Rede Brasil Atual, que não expressa a opinião da Central, criam um factóide dizendo que a CUT é contra nossa reposição.
FATOS:
1. Foi a Conlutas que se posicionou contra a reposição, assinando inclusive ofício contra o envio do projeto. O campo CUTista desde o primeiro momento defendeu o 2648 como alternativa viável, e aliás, foi o campo que costurou sua viabilidade técnico orçamentária, contra a posição do Luta Fenajufe e da Direita.
2. Foi a CUT que desde o primeiro momento ajudou a viabilizar a proposta, abrindo portas, inclusive no MPOG e no Executivo para que negociássemos a viabilidade orçamentária.
3. A posição da Rede Brasil Atual não expressa a posição da Central Única dos Trabalhadores. Em que pese o mal-estar que o erro do jornalista causou, não há nenhuma nota da Central ou nenhuma posição de nenhum dirigente da CUT contra o aumento dos servidores públicos.
A nota do Luta Fenajufe é uma farsa, quem se aliou à FIESP, a organização mais reacionária do Brasil, agora quer posar de progressista,, quem pediu a retirada do projeto, inclusive em ofício, agora quer posar de defensora do PL2648.
Os CUTistas que desde o primeiro momento viabilizaram o projeto, tem a obrigação de resgatar a verdade junto à categoria.

Título: O MAL-ESTAR E A MENTIRA, Conteúdo: Ontem, de forma equivocada, o jornalista que cuida da página da CUT-Brasil colocou uma notícia da Rede Brasil atual sobre a reposição salarial dos servidores públicos. Não foi uma nota oficial da CUT e não expressa a opinião de nenhum dirigente da CUT, muito menos a posição da Central. Quando os servidores CUTistas viram a publicação, comunicaram a CUT Nacional, que imediatamente retirou a publicação. A posição da Central Única dos Trabalhadores sempre foi e será a favor da reposição salarial dos servidores públicos, tendo intervindo em todas as negociações a favor da reposição salarial dos servidores do Judiciário, inclusive nesta. Foi a Central Única dos Trabalhadores que contactou o MPOG para que pudéssemos retomar as negociações do PL6613, que desembocou no atual 2649. Durante toda a negociação, a CUT Nacional pressionou Governo e parlamentares para a aprovação do nosso PL. Sindicatos ligados ao Conlutas, que se posicionaram primeiro contra o PL6613, e depois contra o PL2648, cujos dirigentes, que tanto fizeram contra o atual projeto aprovado na Câmara, depois que o setor CUTista conseguiu acordo e orçamento com o Governo Dilma, e que agora correm para tirar ridículas fotos com parlamentares para dizer que ajudaram num projeto que tentaram abortar, enviando inclusive ofício ao STF pedindo a retirada do projeto de tramitação, MENTEM DESCARADAMENTE PARA A CATEGORIA. Baseado numa notícia do portal Rede Brasil Atual, que não expressa a opinião da Central, criam um factóide dizendo que a CUT é contra nossa reposição. FATOS: 1. Foi a Conlutas que se posicionou contra a reposição, assinando inclusive ofício contra o envio do projeto. O campo CUTista desde o primeiro momento defendeu o 2648 como alternativa viável, e aliás, foi o campo que costurou sua viabilidade técnico orçamentária, contra a posição do Luta Fenajufe e da Direita. 2. Foi a CUT que desde o primeiro momento ajudou a viabilizar a proposta, abrindo portas, inclusive no MPOG e no Executivo para que negociássemos a viabilidade orçamentária. 3. A posição da Rede Brasil Atual não expressa a posição da Central Única dos Trabalhadores. Em que pese o mal-estar que o erro do jornalista causou, não há nenhuma nota da Central ou nenhuma posição de nenhum dirigente da CUT contra o aumento dos servidores públicos. A nota do Luta Fenajufe é uma farsa, quem se aliou à FIESP, a organização mais reacionária do Brasil, agora quer posar de progressista,, quem pediu a retirada do projeto, inclusive em ofício, agora quer posar de defensora do PL2648. Os CUTistas que desde o primeiro momento viabilizaram o projeto, tem a obrigação de resgatar a verdade junto à categoria.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.