Por aclamação, Sinpro Petrópolis se filia à CUT

m assembleia realizada nesta sexta-feira, 24 de agosto, os associados ao Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região aprovaram, por unanimidade, a filiação da entidade â CUT

Escrito por: CUT Rio • Publicado em: 25/08/2018 - 22:59 Escrito por: CUT Rio Publicado em: 25/08/2018 - 22:59

Internet

Em assembleia realizada nesta sexta-feira, 24 de agosto, os associados ao Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região aprovaram, por unanimidade, a filiação da entidade â Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A assembleia teve a presença de representantes da CUT, Feteerj, Contee e dos sindicatos dos Bancários, Rodoviários, Metalúrgicos e Lapidários, todos da base sindical de Petrópolis. O presidente do Sinpro, Frederico Fadini, abriu a plenária, demarcando a importância da decisão da categoria de filiar o sindicato à Central:

– A filiação à CUT é um tema há muito discutido pelo Sinpro. Considero a filiação um ato político. Historicamente, os trabalhadores vêm lutando, em seus sindicatos, por uma sociedade brasileira mais democrática. Vamos lembrar que muitos deram o sangue para que agora, nós, professores e professoras, possamos estar aqui discutindo política – disse o professor Fred, como é conhecido.

Fadini continuou, falando da importância da luta dos sindicatos:

– O sindicalismo tem uma importância essencial na luta pelos direitos dos trabalhadores. Mas vai além: o trabalho dos sindicatos é fundamental para a defesa da nossa democracia, que está correndo risco no país desde o golpe que retirou Dilma da Presidência.

Logo após Fadini, o presidente do Sindicato dos Bancários de Petrópolis, Alvarenga, saudou a assembleia, lembrando “que o papel atual do Sinpro passou a ser uma referência para a organização sindical petropolitana”.

Após Fadini e Alvarenga, o secretário do Sinpro, Antônio Carlos Mussel, leu o edital com a convocação para a assembleia extraordinária e depois foi posta em votação a proposta de filiação à CUT, aprovada por aclamação.

Em seguida, Antônio Rodrigues, representando a Feteerj, disse que o Sinpro Petrópolis, com a entrada na CUT, “quer trazer a categoria para uma política que é mais ampla que a questão meramente corporativa”.

Keila Machado, secretária-geral da CUT-RJ, colocou a central à disposição do Sinpro e demais sindicatos petropolitanos: “o momento é o de unidade dos trabalhadores e de suas entidades classistas”.

Oswaldo Telles, representando a Contee, parabenizou os participantes da assembleia, mas alertou: “temos que nos preparar para a luta, pois a ganância do capital em cima da gente é muito grande. Por isso a filiação do Sinpro Petrópolis é muito importante para a CUT e para o movimento sindical”.

A diretoria colegiada da Feteerj parabeniza a filiação do Sinpro Petrópolis à CUT – a Federação também é filiada à Central.

 

Diretoria do Sinpro Petrópolis e convidados logo após a assembleia que decidiu a entrada do sindicato à CUT

Título: Por aclamação, Sinpro Petrópolis se filia à CUT, Conteúdo: Em assembleia realizada nesta sexta-feira, 24 de agosto, os associados ao Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região aprovaram, por unanimidade, a filiação da entidade â Central Única dos Trabalhadores (CUT). A assembleia teve a presença de representantes da CUT, Feteerj, Contee e dos sindicatos dos Bancários, Rodoviários, Metalúrgicos e Lapidários, todos da base sindical de Petrópolis. O presidente do Sinpro, Frederico Fadini, abriu a plenária, demarcando a importância da decisão da categoria de filiar o sindicato à Central: – A filiação à CUT é um tema há muito discutido pelo Sinpro. Considero a filiação um ato político. Historicamente, os trabalhadores vêm lutando, em seus sindicatos, por uma sociedade brasileira mais democrática. Vamos lembrar que muitos deram o sangue para que agora, nós, professores e professoras, possamos estar aqui discutindo política – disse o professor Fred, como é conhecido. Fadini continuou, falando da importância da luta dos sindicatos: – O sindicalismo tem uma importância essencial na luta pelos direitos dos trabalhadores. Mas vai além: o trabalho dos sindicatos é fundamental para a defesa da nossa democracia, que está correndo risco no país desde o golpe que retirou Dilma da Presidência. Logo após Fadini, o presidente do Sindicato dos Bancários de Petrópolis, Alvarenga, saudou a assembleia, lembrando “que o papel atual do Sinpro passou a ser uma referência para a organização sindical petropolitana”. Após Fadini e Alvarenga, o secretário do Sinpro, Antônio Carlos Mussel, leu o edital com a convocação para a assembleia extraordinária e depois foi posta em votação a proposta de filiação à CUT, aprovada por aclamação. Em seguida, Antônio Rodrigues, representando a Feteerj, disse que o Sinpro Petrópolis, com a entrada na CUT, “quer trazer a categoria para uma política que é mais ampla que a questão meramente corporativa”. Keila Machado, secretária-geral da CUT-RJ, colocou a central à disposição do Sinpro e demais sindicatos petropolitanos: “o momento é o de unidade dos trabalhadores e de suas entidades classistas”. Oswaldo Telles, representando a Contee, parabenizou os participantes da assembleia, mas alertou: “temos que nos preparar para a luta, pois a ganância do capital em cima da gente é muito grande. Por isso a filiação do Sinpro Petrópolis é muito importante para a CUT e para o movimento sindical”. A diretoria colegiada da Feteerj parabeniza a filiação do Sinpro Petrópolis à CUT – a Federação também é filiada à Central.   Diretoria do Sinpro Petrópolis e convidados logo após a assembleia que decidiu a entrada do sindicato à CUT



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.