Protesto contra demissões: Sindicato fecha agências do Santander em Campos

Escrito por: Sindicato dos Bancarios de Campos • Publicado em: 18/10/2017 - 15:40 • Última modificação: 18/10/2017 - 23:10 Escrito por: Sindicato dos Bancarios de Campos Publicado em: 18/10/2017 - 15:40 Última modificação: 18/10/2017 - 23:10

Sindicato dos Bancarios de Campos

Duas agências do Santander no centro de Campos dos Goytacazes (RJ) não abriram nesta quarta-feira, 18. Foi um dia de protesto promovido pelo Sindicato dos Bancários contra as demissões realizadas pelo banco. Permaneceram fechadas as agências da Rua 13 de Maio e do calçadão da cidade. A primeira era o local de trabalho da dirigente sindical Danieli Siqueira, secretária de Comunicação, Divulgação e Imprensa do Sindicato, que foi demitida pelo banco no início deste mês, em uma atitude de afronta ao direito democrático que assegura aos trabalhadores a liberdade de organização. Também nesta quarta teve o Dia de Luta em Defesa dos Participantes da Funcef, reforçando a mobilização pela Caixa 100% pública.

Participaram do protesto o presidente estadual da CUT, Marcelo Rodrigues, o presidente do Sindicato dos Bancários de Macaé, Wagner Figueiredo, o diretor do Sindipetro, Rafael Crespo, a diretora do Sepe, Odisséia Carvalho e o diretor do Sindicato dos Radialistas de Campos, Ailton Júnior.

— Nosso ato de hoje foi contra as demissões e o desrespeito do Santander contra seus funcionários e clientes. É um banco que está aí figurando na liderança do ranking de reclamações, um banco que afronta o movimento sindical. Uma das nossas respostas a tudo isso é denunciar esses absurdos à sociedade — defendeu o presidente do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região, Rafanele Alves.

O Sindicato também realizou no centro financeiro da cidade mais um dia de coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular pela anulação da reforma trabalhista.

Título: Protesto contra demissões: Sindicato fecha agências do Santander em Campos, Conteúdo: Duas agências do Santander no centro de Campos dos Goytacazes (RJ) não abriram nesta quarta-feira, 18. Foi um dia de protesto promovido pelo Sindicato dos Bancários contra as demissões realizadas pelo banco. Permaneceram fechadas as agências da Rua 13 de Maio e do calçadão da cidade. A primeira era o local de trabalho da dirigente sindical Danieli Siqueira, secretária de Comunicação, Divulgação e Imprensa do Sindicato, que foi demitida pelo banco no início deste mês, em uma atitude de afronta ao direito democrático que assegura aos trabalhadores a liberdade de organização. Também nesta quarta teve o Dia de Luta em Defesa dos Participantes da Funcef, reforçando a mobilização pela Caixa 100% pública. Participaram do protesto o presidente estadual da CUT, Marcelo Rodrigues, o presidente do Sindicato dos Bancários de Macaé, Wagner Figueiredo, o diretor do Sindipetro, Rafael Crespo, a diretora do Sepe, Odisséia Carvalho e o diretor do Sindicato dos Radialistas de Campos, Ailton Júnior. — Nosso ato de hoje foi contra as demissões e o desrespeito do Santander contra seus funcionários e clientes. É um banco que está aí figurando na liderança do ranking de reclamações, um banco que afronta o movimento sindical. Uma das nossas respostas a tudo isso é denunciar esses absurdos à sociedade — defendeu o presidente do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região, Rafanele Alves. O Sindicato também realizou no centro financeiro da cidade mais um dia de coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular pela anulação da reforma trabalhista.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.