Sindicato retarda abertura de agências do Itaú em Campos dos Goytacazes

Em apenas um dia, no início desta semana, o Itaú demitiu três bancárias na base do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região

Escrito por: CUT Rio • Publicado em: 21/08/2018 - 22:46 Escrito por: CUT Rio Publicado em: 21/08/2018 - 22:46

Internet

Em apenas um dia, no início desta semana, o Itaú demitiu três bancárias na base do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região: em Italva, São João da Barra e Campos. Como resposta ao desrespeito do banco com seus funcionários e clientes, uma atividade realizada na manhã desta terça-feira, 21, retardou em uma hora a abertura das agências do Calçadão e da Rua Santos Dumont. 

O Sindicato aproveitou o dia da oitava rodada de negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para deixar claro que se os banqueiros não apresentarem uma proposta decente à categoria vai haver greve por tempo indeterminado. 

— O Itaú tem registrado lucros recordes, como todos os bancos, e não há nenhuma desculpa para continuar precarizando o trabalho das bancários e dos bancários e provocando demissões. Só no primeiro trimestre deste ano foram mais de R$ 6 bilhões de lucro. Que empresa tem esse resultado no Brasil? Não podemos e não vamos aceitar isso — disse a diretora do Sindicato, Cristina Barreto, que é funcionária do Itaú.

O Sindicato já está tomando providências, por meio do jurídico, para as ações de reintegração das bancárias que foram demitidas.

Título: Sindicato retarda abertura de agências do Itaú em Campos dos Goytacazes, Conteúdo: Em apenas um dia, no início desta semana, o Itaú demitiu três bancárias na base do Sindicato dos Bancários de Campos dos Goytacazes e Região: em Italva, São João da Barra e Campos. Como resposta ao desrespeito do banco com seus funcionários e clientes, uma atividade realizada na manhã desta terça-feira, 21, retardou em uma hora a abertura das agências do Calçadão e da Rua Santos Dumont.  O Sindicato aproveitou o dia da oitava rodada de negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para deixar claro que se os banqueiros não apresentarem uma proposta decente à categoria vai haver greve por tempo indeterminado.  — O Itaú tem registrado lucros recordes, como todos os bancos, e não há nenhuma desculpa para continuar precarizando o trabalho das bancários e dos bancários e provocando demissões. Só no primeiro trimestre deste ano foram mais de R$ 6 bilhões de lucro. Que empresa tem esse resultado no Brasil? Não podemos e não vamos aceitar isso — disse a diretora do Sindicato, Cristina Barreto, que é funcionária do Itaú. O Sindicato já está tomando providências, por meio do jurídico, para as ações de reintegração das bancárias que foram demitidas.



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.