Trabalhadores apanham da polícia em manifestação

Forte repressão policial marcou trancaço na REDUC realizado nesta quarta feira, dia 25.

Escrito por: CUT RJ • Publicado em: 01/02/2018 - 16:47 • Última modificação: 02/02/2018 - 21:47 Escrito por: CUT RJ Publicado em: 01/02/2018 - 16:47 Última modificação: 02/02/2018 - 21:47

Sindipetro Caxias

Os trabalhadores terceirizados da empresa contratada pela REDUC para as paradas de manutenções são representados atualmente pelo SITICOMMM (SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL), fruto de muita luta, e seguiam esta tabela salarial da construção civil.

Os representantes dos trabalhadores terceirizados e dos desempregados na baixada realizaram, no final do ano passado, uma reunião com a Gerente Geral da Refinaria, mas desrespeitando o combinado em reunião, permitiu que as empresas contratadas que venceram as licitações e sucederam os serviços prestados utilizassem o acordo coletivo de trabalho do sindicato dos metalúrgicos, que tem salários reduzidos e menos direitos.

Os representantes dos trabalhadores terceirizados querem conversar novamente com os gerentes e a acabar com essa manobra gananciosa empresarial.

Sendo assim, no dia 25 de janeiro, os trabalhadores terceirizados e desempregados da baixada fluminense realizaram um trancaço até 9 horas da manhã na Refinaria em protesto a este golpe. A resposta a isso foi, como sempre, a repressão.

 

Continuaremos lutando do lado do trabalhador!

 

SOMOS FORTES, SOMOS CUT!

Título: Trabalhadores apanham da polícia em manifestação, Conteúdo: Os trabalhadores terceirizados da empresa contratada pela REDUC para as paradas de manutenções são representados atualmente pelo SITICOMMM (SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL), fruto de muita luta, e seguiam esta tabela salarial da construção civil. Os representantes dos trabalhadores terceirizados e dos desempregados na baixada realizaram, no final do ano passado, uma reunião com a Gerente Geral da Refinaria, mas desrespeitando o combinado em reunião, permitiu que as empresas contratadas que venceram as licitações e sucederam os serviços prestados utilizassem o acordo coletivo de trabalho do sindicato dos metalúrgicos, que tem salários reduzidos e menos direitos. Os representantes dos trabalhadores terceirizados querem conversar novamente com os gerentes e a acabar com essa manobra gananciosa empresarial. Sendo assim, no dia 25 de janeiro, os trabalhadores terceirizados e desempregados da baixada fluminense realizaram um trancaço até 9 horas da manhã na Refinaria em protesto a este golpe. A resposta a isso foi, como sempre, a repressão.   Continuaremos lutando do lado do trabalhador!   SOMOS FORTES, SOMOS CUT!



Informativo CUT RJ

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.